Notícias

Estabelecimentos discutem novo modelo de funcionamento para saúde suplementar

21.07.17

A proposta de um novo modelo de funcionamento e operação para a Saúde Suplementar abarcando os estabelecimentos, as operadoras de saúde e o consumidor, intitulado de “Capitation reverso”, foi apresentada aos associados da Ahseb em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) realizada nesta quarta-feira, 19, na sede da entidade. A apresentação e as explicações sobre o tema ficaram a cargo dos presidentes da Ahseb, Mauro Duran Adan, e da Febase, Marcelo Britto.
O modelo propõe uma inversão na relação dos atores que compõem o segmento. A ideia é que o usuário do sistema passe a lidar diretamente com o prestador e o papel da operadora de saúde seja a venda de redes privadas de serviços, sem precisar ter o contato direto com o usuário – já que o pagamento pelos mesmos será feito diretamente aos estabelecimentos, que se organizariam em redes por critérios pré-estabelecidos.
De acordo com os representantes das duas entidades, a proposta vem sendo estudada no campo teórico, bem como apresentada a entidades diversas, como a Agência Nacional de Saúde Suplementar. Agora, feitas as devidas apresentações e sanadas as dúvidas dos associados, é momento de as instituições refletirem sobre a adesão, a fim de colocar o projeto-piloto em prática.
Para o presidente da Ahseb, Mauro Adan, é preciso mudar o atual modelo existente e dar uma alternativa para o mercado. “Estamos apresentando uma alternativa. Nós, entidades de classe, associativistas, interessadas no equilíbrio do sistema e principalmente na sobrevivência do associado, não vamos ficar assistindo o mercado viver esse tipo de crise, nós vamos agir e trazer sugestões. E está aí o modelo”, sinaliza.


A opinião é compartilhada pelo presidente da Febase e vice-presidente da CNS, Marcelo Britto. “Nós focamos neste novo modelo de uma forma que alinhe perfeitamente o interesse dos prestadores, dos usuários e das operadoras. Ou seja, tudo aquilo que hoje é uma imensa perda de energia entre os três principais entes, vira agora uma sinergia”, pontua Britto, sinalizando que a meta é que o novo modelo entre em prática ainda este ano.
Além da AGE para discutir o “Capitation reverso”, a Ahseb realizou outra assembleia, no mesmo local, sobre as contas e balanços da entidade no exercício de 2016. Estas foram aprovadas, bem como o parecer do Conselho Fiscal.